segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Em setembro, de volta

Caros irmãos e amigos,

Devido à maratona de compromissos nas últimas semanas (compromissos particulares e de trabalho), passei em branco em artigos-postagens este mês e ainda não interagi com algumas mensagens que recebi nesse período. Anuncio, porém, que, em setembro, estou de volta. E na próxima postagem, como não poderia deixar de ser, falo sobre o caso Universal-Record-Ministério Público-Globo-Folha de São Paulo e sobre o que acho da novidade no cenário eleitoral do ano que vem: a irmã Marina Silva, candidata à presidência pelo PV. Enquanto a postagem está no forno, indico a do meu amigo pastor César Moisés sobre a entrevista da irmã Marina Silva à revista Veja desta semana. O endereço do blog do pastor César é marketingparaescoladominical.blogspot.com
Abraço a todos!

17 comentários:

Paulo Silvano disse...

Caro Pr. Silas,

A paz do Senhor. Surpreso, pela primeira vez deparo-me com a expressão "irmã Marina Silva", num veículo de comunicação com publicidade interdenominacional, como é o caso do seu blog.

Sempre pressenti que a nobre senadora da república, eleita em 1994, e ex-ministra do meio ambiente, apesar de dedicada com paixão a uma causa que lhe deu visibilidade internacional, sofresse de uma espécie de vergonha dissimulada por parte expressiva do segmento evangélico, incluindo a Igreja a qual ela é filiada, digo membro.
Essa “rejeição” é sintomática e tem origem na própria história dessa, aparentemente frágil mulher, cuja trajetória exemplar de militante ligada aos movimentos sociais destoa daquela feita pela maioria dos políticos evangélicos que usaram (e usam) os púlpitos das igrejas como palanque eleitoral para alçarem as instâncias do poder político do país, quase sempre a serviço dos interesses, muitas vezes escusos, das corporações eclesiásticas.

Ser mulher, filha da floresta, ativista política de esquerda, companheira do sindicalista Chico Mendes e membro-fundadora do Partido dos Trabalhadores constitui histórico pouco ortodoxo àqueles que almejam gozar das prerrogativas dispensadas pelas lideranças evangélicas brasileiras aos postulantes a assento nas câmaras legislativas e a cargos majoritários, cujo ingresso pode ser beneficiado pelo voto dos crentes.

Estou surpreso, mas feliz. Parabéns caro Silas. Parece que, finalmente, vencendo a própria desconfiança, vamos dar a irmã Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, essa ilustre e irrepreensível serva de Deus e cidadã brasileira, a honra que lhe é devida. Dos seus eleitores e da comunidade internacional ela já tem (em 2007, recebeu o Champions of the Earth maior prêmio das ONU na área ambiental). Falta o reconhecimento da igreja evangélica, enquanto instituição, que a tem no seu seio e que por ela está muito bem representada naquela casa legislativa do congresso nacional. Casa esta que, ultimamente, nos tem dado pouquíssimos motivos para celebrar a política brasileira. A Marina é um desses raros motivos.

Um abraço,
Paulo Silvano Cardoso

Apologeta E.F.O. disse...

Paz do Senhor Pastor Silas Daniel,sou eu Eduardo! Como vai? Tem ministrado muito e sido um instrumento de edificação para glória do Senhor? Eu ainda aguardo os e-mails dos pastores: Esequias Soares e Paulo Cézar Lima. O irmão disse que ia conseguir e nada, pelo visto deve estar muito ocupado. Que Deus continue contigo e quandoas cópias do meu DVD Milagres: De onde eles procedem sair, mandarei uma para o irmão. Abraços para ti e sua digníssima.

Evangelista Eduardo França (Pentecostal, Fundamentalista e Apologista-Polemista)

Obs: Continue firme na fé cristã. Deixo para o irmão a exortação proferida pelo nosso amado irmão Judas: E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento; E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne. (Judas 22,23)

Silas Daniel disse...

Caro pastor Silvano,

Suas afirmações são absolutamente infundadas. O irmão, com certeza, não lê os periódicos da CPAD, editora oficial da denominação a qual a irma Marina pertence.

A irmã Marina Silva sempre foi destaque em matérias nos veículos de comunicação da CPAD. Ela foi, por exemplo, capa e entrevistada especial da revista "Mulher, Lar & Família Cristã", da CPAD, uma revista em nível nacional que chegou a ter muitas de suas edições vendidas nas bancas. Foi na edição número 15, edição de abril-maio-junho de 2003 (a revista era trimestral). A foto de Marina prencheu toda a capa e a manchete da revista era "Ministra Marina Silva fala de sua trajetória de fé". Dentro da revista, o editorial foi sobre ela, com direito a foto e o título: "Mulheres de valor". A entrevista com Marina, sob o título "Marina Silva - movida à fé e à determinação", ocupou três páginas da revista. Na cabeça da entrevista, contamos resumidamente toda a sua trajetória, e na entrevista, irmã Marina falou sobre sua origem e trajetória difíceis; sobre sua ascensão política; sobre seus projetos; sobre as adaptações pelas quais teve que passar em sua vida; sobre sua conversão; sobre a enfermidade que sofreu no final dos anos 90; sobre sua família; sobre o marido e os quatro filhos; sobre como concilia o tempo se dividindo entre a família, a igreja e as atividades políticas; sobre como é ser uma política assembleiana; sobre Lula e os evangélicos; sobre Chico Mendes e momentos difíceis; e sobre a Assembleia de Deus.

No mesmo ano, na edição 1.413 do jornal "Mensageiro da Paz" (fevereiro de 2003), fizemos uma entrevista de página inteira com a irmã Marina Silva, sob o título "Membro da AD é ministra do Meio Ambiente". Na capa, a chamada com foto: "Ministra assembleiana". Três anos antes (em 2000), publicamos nota no jornal sobre a conversão de Marina. E depois da matéria de 2003 no jornal "Mensageiro da Paz", se seguiram mais duas matérias sobre ela, inclusive uma sobre sua defesa do Criacionismo quando ainda ministra do Meio Ambiente. Pastor César Moisés também escreveu um artigo de página inteira no "Mensageiro da Paz" defendendo a irmã Marina naquele ano, quando todos a atacavam ("Veja", "Época", "O Globo", "Folha de São Paulo" etc).

Então, irmão Silvano, não é verdade que só agora estamos falando dela. Já falamos de irmã Marina há nove anos pelo menos (inclusive, já ia esquecendo, falamos também sobre o prêmio que recebeu em 2007), e dando-lhe sempre destaque nos periódicos, e sempre a chamando de "irmã Marina".

Ademais, já preguei várias vezes na igreja onde ela congrega em Brasília (AD L2-Sul, liderada pelo pastor Sóstenes Apolos) e sempre os irmãos a tratam com respeito e amor ali, onde ela tem sido uma bênção ministrando a Palavra. Ela estudou Teologia ali também. Este final de semana (de 4 a 7 de setembro), estive no Acre, terra de Marina, onde os irmãos a tratam com imenso respeito e carinho e onde ela tem dado bom testemunho de sua fé. Quando em seu Estado, ela congrega na AD em Rio Branco, liderada pelo pastor Luiz Gonzaga.

Portanto, da próxima vez, é bom o irmão se informar melhor antes de opinar, em vez de falar de "pressentimentos". Devemos fazer afirmações em cima de fatos, e não de pressentimentos.

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro Eduardo, a Paz!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Sobre as informações, desculpe a demora. Já tenho os contatos que você quer há um bom tempo. É que esqueci tanto de te mandar quanto do endereço de seu e-mail (já não uso o meu e-mail do Bol faz alguns meses, e era nele que estava registrado o seu endereço eletrônico). Você poderia mandar um e-mail para mim hoje (pelo silas.daniel@cpad.com.br) sobre o assunto? Depois de enviar, retorno sua mensagem com as informações solicitadas.

Abraço!

Paulo Silvano disse...

Caro pastor Silas,

Obrigado por me informar que a irmã Marina Silva SEMPRE foi destaque em matérias nos veículos de comunicação da CPAD, cujo periódico, o Mensageiro da Paz, mesmo com as certezas do irmão tem, leio esporadicamente.
As suas valiosas informações, que precisam inclusive as datas, corroboram os meus “pressentimentos”. Imagino que o irmão, prezando o seu melhor estilo de tentar, com extensas laudas, “matar no ninho” presumíveis oponentes, tenha se esforçado para resgatar os registros mais recentes (ou todos) sobre a aparição da nobre Senadora da República na mídia evangélica (no caso, a vinculada ao maior setor da denominação Assembléia de Deus).
Portanto, considerando que já estamos distantes, há mais de seis anos, das notícias relevantes sobre a irmã Marina, enalteço a iniciativa, da parte do nobre pastor, de tirar do forno postagem tratando sobre a “novidade no cenário eleitoral do ano que vem”.
Acredito que, se tratando de postagem no seu blog, o irmão não o fará essa deferência apenas em cumprimento do dever como jornalista. Acredito que você, assim como eu, está ENTUSIASMADO (en Teos asm) com essa candidatura. Aliás, a eventual candidatura da Marina dará maior importância ao debate sobre ecologia, um dos temas mais caros na política contemporânea, que, por sua vez, é outro tema tremendamente negligenciado pela maioria expressiva dos evangélicos e suas lideranças, em função do tipo de hermenêutica escatológica que adotam.
O chamado da Marina não é meramente político (mesmo que ela queira), é um chamado para refletirmos sobre a vida e suas implicações, principalmente as de cunho teológico. Deus abençoe a Marina e todos nós.

Um abraço
Paulo Silvano

Silas Daniel disse...

Pastor Silvano,

O senhor já passou dos limites. Até quando o senhor vai continuar usando desse expediente? Até quando o senhor vai continuar sendo mentiroso e dissimulado, ofendendo e dando uma de piedoso ao mesmo tempo?

“Obrigado por me informar que a irmã Marina Silva SEMPRE foi destaque em matérias nos veículos de comunicação da CPAD” – Sim, ela SEMPRE foi destaque em matérias nos veículos de comunicação da CPAD, como demonstrei, mas o irmão, diante da verdade, em vez de aceitá-la, insinua que sou mentiroso: “As suas valiosas informações, que precisam inclusive as datas, corroboram os meus ‘pressentimentos’. Portanto, CONSIDERANDO QUE JÁ ESTAMOS DISTANTES HÁ MAIS DE SEIS ANOS DAS NOTÍCIAS RELEVANTES SOBRE A IRMÃ MARINA...” (Reproduzo em letras garrafais o que senhor disse para que depois não venha com aquela sua já tradicional dissimulação vergonhosa, dizendo que não disse o que disse).

Por que o senhor simplesmente ignora descaradamente que eu tenha mencionado em minha resposta ao irmão outras matérias de destaque no jornal “Mensageiro da Paz” sobre a irmã Marina Silva depois de 2003? Por quê? Por que despreocupei-me em precisar as datas das outras matérias após 2003? Logo, se não preocupei-me em dar mês, ano e página das matérias seguintes, o senhor conclui que sou mentiroso? É assim que trabalha sua lógica? Mesmo uma pessoa ímpia, por prudência, não chamaria seu interlocutor de mentiroso porque não foram precisadas as datas das demais matérias. Mas, o senhor, mesmo sendo um cristão e pastor, pela “centésima vez” (perdi as contas) não quer nem saber e me trata como se eu estivesse mentindo! Sinceramente, pastor Silvano, cansei de suas ofensas.

Só para que conste, esta será a última vez que vou me prestar a estar respondendo a um comentário seu neste blog (a não ser que daqui para frente o senhor mude sua postura – porque, como cristão, eu creio no arrependimento). Você quer datas? E quer datas recentes? Vamos a elas. Que tal datas de matérias de 2007 e 2008? Está bom assim ou ainda está “distante”?

Em março de 2007, na página 25 do jornal “Mensageiro da Paz”, publicamos com destaque uma matéria sobre o prêmio que a irmã Marina Silva recebeu da ONU. A matéria, com foto de Marina com seu rosto em posição de oração, foi intitulada: “Assembleiana premiada pelas Nações Unidas”. Trata-se da premiação a que o senhor se referiu em seu comentário e a qual eu respondi dizendo que publicamos matéria a respeito no “Mensageiro da Paz”. Mas, o senhor ignorou isso e disse: “...CONSIDERANDO QUE JÁ ESTAMOS DISTANTES HÁ MAIS DE SEIS ANOS DAS NOTÍCIAS RELEVANTES SOBRE A IRMÃ MARINA...”

Em março de 2008, na página 26 do jornal “Mensageiro da Paz”, publicamos outra matéria sobre Marina, intitulada: “Ministra Marina defende Criacionismo”, com foto dela fazendo o discurso em que defendeu que o Criacionismo seja ensinado nas escolas ao lado do Evolucionismo. Referi-me a essa matéria também em minha resposta, mas o senhor ignorou-a, dizendo: “...CONSIDERANDO QUE JÁ ESTAMOS DISTANTES HÁ MAIS DE SEIS ANOS DAS NOTÍCIAS RELEVANTES SOBRE A IRMÃ MARINA...”

No mês seguinte, em abril de 2008, publicamos ainda no jornal “Mensageiro da Paz” um artigo de página inteira do pastor César Moisés (artigo que solicitamos a ele) defendendo a irmã Marina dos ataques que sofreu de “O Globo”, “Folha de São Paulo”, “Época” e “Veja” por causa de sua posição em favor do ensino do Criacionismo nas escolas. O artigo foi intitulado “Darwinistas sufocam liberdade de expressão”. Referi-me a esse artigo também em minha resposta, mas o senhor ignorou-o, dizendo: “...CONSIDERANDO QUE JÁ ESTAMOS DISTANTES HÁ MAIS DE SEIS ANOS DAS NOTÍCIAS RELEVANTES SOBRE A IRMÃ MARINA...”

(Continua...)

Silas Daniel disse...

(Continuando...)

Em junho de 2008, na página 26 do jornal “Mensageiro da Paz”, publicamos outra matéria sobre a irmã Marina Silva, intitulada “EcoBíblia”, falando sobre o lançamento da Bíblia ecológica com a presença da irmã Marina Silva e falando da sua opinião sobre a EcoBíblia. Mas, o irmão afirma: “...CONSIDERANDO QUE JÁ ESTAMOS DISTANTES HÁ MAIS DE SEIS ANOS DAS NOTÍCIAS RELEVANTES SOBRE A IRMÃ MARINA...”

Lembrando ainda que o jornal “Mensageiro da Paz” é o Órgão Oficial das Assembléias de Deus no Brasil e o senhor, mesmo assim, ainda diz que falta a Marina “o reconhecimento da igreja evangélica, enquanto instituição”, não escondendo, já no início de sua fala, que se refere inclusive à denominação a qual ela pertence. Ora, não acompanho o tratamento dado a ela pelas outras denominações, mas quem tem acompanhado os veículos de comunicação impressos da CPAD e a Rádio Web CPAD (no ar há quase dois anos), e conhece as ADs em L2 Sul (DF) e Rio branco (AC) (igrejas onde ela congrega), sabe do bom tratamento dado a ela pela denominação a qual ela pertence. Marina já pregou em cultos evangelísticos, congressos de jovens e de senhoras das duas igrejas e sempre recebeu todo o apoio dos irmãos. Já preguei várias vezes na AD em L2 Sul e sei do carinho dos irmãos por ela. Estive recentemente no Acre, como disse, ministrando três dias em um Seminário de Apologética (e já estive lá antes, além de manter contato com irmãos de lá há um bom tempo) e sempre senti o carinho e admiração dos irmãos por ela, bem como só ouvi boas referências à irmã Marina lá. E quanto a votos: a AD acreana tem votado maciçamente na irmã Marina em todas as eleições e, desde que ela aceitou Jesus, Marina agradece a Deus a vitória nas eleições em sua igreja em Rio Branco. Na última eleição ao Senado, seus assessores pediram para que ficasse acompanhando a apuração das urnas, mas ela disse: “Não, vou cultuar em minha igreja”. E cultuou normalmente na AD em Rio Branco, onde sempre tem sido bem tratada. Apesar disso, o senhor diz: “Sempre pressenti que a nobre senadora da república, eleita em 1994, e ex-ministra do meio ambiente, apesar de dedicada com paixão a uma causa que lhe deu visibilidade internacional, SOFRESSE DE UMA ESPÉCIE DE VERGONHA DISSIMULADA POR PARTE EXPRESSIVA DO SEGMENTO EVANGÉLICO, INCLUINDO A IGREJA A QUAL ELA É FILIADA, DIGO MEMBRO”.

E mais: o senhor insinuou também que eu não dou atenção à Marina Silva, parabenizando-me por só agora escrever algo sobre ela. Ora, há mais de 11 anos trabalho no jornal “Mensageiro da Paz”, dos quais 3 anos e 3 meses como redator e 8 anos como editor (responsável pelo jornal), e fui o autor de todas essas matérias sobre a irmã Marina no jornal e também quem solicitou ao pastor César Moisés o referido artigo para o “Mensageiro da Paz” em defesa de irmã Marina Silva. Mas, o senhor, vergonhosamente, vem me dizer: “Parabéns caro Silas. Parece que, finalmente, vencendo a própria desconfiança, vamos dar a irmã Maria Osmarina Marina Silva Vaz de Lima, essa ilustre e irrepreensível serva de Deus e cidadã brasileira, a honra que lhe é devida”.

(Continua...)

Silas Daniel disse...

(Concluindo...)

Sinceramente, pensei que o senhor já havia se arrependido dessa prática desde que ocorreu sua incidência mais recente, no blog “Teologia Pentecostal”, do irmão Gutierres, quando você disse que o irmão Gutierres agia diferentemente de outras pessoas (numa referência clara a mim, inclusive citando o título de meu livro): “...não jogando, necessariamente, a água suja da bacia juntamente com a criança; NÃO ROTULANDO TUDO O QUE NÃO É ‘ORTODOXO’, COM O É O CASO DO CONCEITO DE IGREJA EMERGENTE DO DRISCOLL, NA RUBRICA DE SEDUÇÃO DAS NOVAS TEOLOGIAS”. Está lá em https://www.blogger.com/comment.g?blogID=3050225699462347231&postID=804672449241184073 – Lembra-se? Ao que lhe respondi que não combato (aliás, nem sequer menciono) Driscoll em meu livro e não sou crítico dele, uma vez que Driscoll rompeu com a Igreja Emergente há muito tempo e prega contra os pressupostos do movimento, que é liderado por seus amigos Brian Mclaren, Rob Bell etc. Inclusive, lembrei-o que a CPAD publicou um livro do qual Driscoll é co-autor e no qual ele fala contra os pressupostos da Igreja Emergente (“A Supremacia de Cristo”), e que também publiquei, como editor da revista “Obreiro” (revista de reflexão teológica da Assembléia de Deus no Brasil e que já conta hoje com 32 anos de existência), um artigo de Mark Driscoll batendo na Igreja Emergente, em edição do segundo trimestre de 2008.

Depois desse episódio, o senhor veio fazer “mea culpa” aqui no meu blog, em vez de se retratar também lá como manda a ética, lembra-se? Pensei: “Quem sabe ele se arrependeu mesmo e mudou”. Pelo jeito, infelizmente não.

Portanto, a partir de hoje, só publicarei aqui comentários do irmão quando estes não forem ofensivos e dissimulados. Na verdade, esse critério, obviamente, não vale só para o irmão, mas para qualquer pessoa que use desse expediente, se bem que não tenho tido casos de mais ninguém que entre no “Verba Volant Scripta Manent” para usar desse expediente além do senhor. Divergências ideológicas, opiniões (contra ou a favor), claro, são aceitáveis. Agora, ataques com dissimulações (comentários ofensivos e irônicos travestidas de “santinho do pau oco”), não mais. Até porque meu tempo é precioso para ser gasto com coisas desse tipo.

Paulo Silvano disse...

Caro pastor Silas,

Obrigado pela publicação e tréplica aos meus comentários. Não resta-me dúvida alguma que é prerrogativa do irmão publicar os comentários que presume estarem enquadrados nos critérios imperativos enumerados.
Pensando bem, provocá-lo, "obrigando-o" a gastar seu precioso tempo com coisas desse tipo, realmente não é razoável. Aliás, imagino ser torturante sentir-se impelido a produzir tamanhas laudas, mesmo já tendo percebido que esse labor lhe é familiar. (A propósito, coloco o termo "torturante" no sentido estrito, com o agravante que, para mim, tortura, pelo simples fato de ser tortura, é necessariamente sequelante).
Mais uma vez, desculpe-me pela indisposição causada. Fico grato, pois os meus comentários nunca foram preteridos pelo irmão. Contudo, fique a vontade para publicá-los somente quando entender que não são ofensivos e nem dissimulados. Peço apenas que não me tenhas na conta dos inimigos.

Paulo Silvano

Apologeta E.F.O. disse...

(AVISO: NÃO VISITEM MAIS O BLOG "SINERGISMO" POIS O MESMO TEM CONTEÚDO PREJUDICIAL E É FEITO POR UM OPOSITOR DA FÉ CRISTÃ BÍBLICO-ORTODOXA)

Paz do Senhor Pr. Silas Daniel!

Glória a Deus por sua vida! Pelo visto não estou só quando mostrei ao pastor (pastor? parafraseando o Pr. Ciro) Paulo Silvano os erros que anda cometendo. Infelizmente existem muitos no nosso meio que travestem-se de ovelhas mas interiormente são lobos devoradores (Mt 7:15). Estes são os que causam divisões, sensuais, que não têm o Espírito. (Jd 22). Precisa ver o debate que tive com ele no seu blog Sinergismo (e deixo claro aqui que ele ou qualquer outro seguidor do blog dele ou deste venha a ler) que não me regozijo por isso, mas me entristeço por saber que tanto sua vida como seus talentos poderiam ser usados para glória do Senhor dos Exércitos em vez de ser um instrumento do maligno trazendo contendas e divisões. Ele entrou pelo caminho de Caim, e foi levado pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceu na contradição de Coré. (Jd 11). Parabenizo-lhe por sua defesa e desejo de arrependimento dele. Espero que ele se lembre que de que a benignidade de Deus é que o leva ao arrependimento (Rm 2:4 acréscimos meus) e Para que abra os olhos, e das trevas se converta à luz, e do poder de Satanás a Deus (Atos 26:18). Ele, no seu blog cita e confirma como verdade pensamentos de Rubem Alves, Rudolph Otto, Brian Mclaren, etc. E infelizmente muitos têm seguido suas dissoluções e através dele o caminho da verdade tem sido blasfemado. Condena a ortodoxia bíblica fazendo coro com os pensadores citados, colocando-a como uma questão de status, ou seja, se você tem poder sobre os fracos, a ortodoxia que prevalece é a sua, trazendo assim o relativismo e a idéia de que não existe a Verdade Absoluta. Bem, não desejando me estender mais, que possamos cumprir a missão que Paulo designou a Timóteo e que o Espírito Santo nos designa através de sua rica e bendita Palavra: Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, e tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos. (II Timóteo 2:25 e 26)

Obs: Meu desejo não é usar o seu blog ou de quem quer que seja para denegrir ninguém, mas, como servo do Senhor preciso proclamar a verdade.

Soli Deo Glória!

Evangelista Eduardo França (Pentecostal, Fundamentalista e Apologista-Polemista)

Apologeta E.F.O. disse...

Ah ia me esquecendo! Se quiser pastor, pode conferir minhas respostas nos artigos: "A leitura ortodoxa é na verdade falsa e exclusivamente racional" e "insulto sofisticado" do blog Sinergismo.

Silas Daniel disse...

Pastor Silvano, que dizer depois desse "pedido de desculpas"?

"Tortura"?!? "Tortura que deixa sequelas"?!?

Vem cá, isso é só sarcasmo rasteiro de ressentimento ou será que eu involuntariamente já estou provocando uma espécie de "dislexia" de ordem emocional no senhor? O senhor se vê mesmo me "torturando" e me deixando com "sequelas"? Eu provoco essas sensações estranhas no senhor?

Ademais, permita-me ser bem didático: Quando a gente se arrepende de verdade, a gente costuma dizer coisas simples assim: "Perdoe-me", "Desculpe". No verdadeiro sentido estrito.

André Quirino disse...

Amado pastor Silas Daniel, a Paz do Senhor!

Aguardamos ansiosos o seu retorno à ativa. Enquanto isso, também aguardo ansioso a chegada do próximo final-de-semana, onde o senhor e sua esposa estarão em minha igreja, num congresso. Espero nos vermos.

Amplexos!

Silas Daniel disse...

Caro Eduardo, não precisava tanto! Não é necessário contra-propaganda sobre o blog dos outros. As pessoas são livres para lerem o que quiserem na Internet e em qualquer lugar. O blog ao qual você se referiu tem seus bons momentos e, se alguém perceber algo equivocado, que cada um coma o peixe jogando fora as espinhas. Não obstante, que bom saber que você não se deixa levar pelo discurso meloso do neoliberalismo teológico.

Forte abraço!

Silas Daniel disse...

Caro André, a Paz!

Sobre o artigo, pretendo, finalmente, publicá-lo amanhã. Ademais, final de semana nos vemos.

Abraço!

Hermes C. Fernandes disse...

Parabéns pelo trabalho no blog. Já estou seguindo.

Aproveito para lhe convidar a conhecer o meu blog, e se desejar segui-lo, será uma honra.

Seus comentários também serão muito bem-vindos.

www.hermesfernandes.blogspot.com

Saudações fraternas!

Silas Daniel disse...

Caro Hermes, a Paz!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Farei uma visita lá brevemente.

Abraço!