quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Louvar a Deus é reconhecê-lO como Senhor de nossa vida e de todas as coisas, e desfrutarmos da Sua maravilhosa presença

As razões para louvar a Deus podem ser resumidas em uma só oração: Louvamos a Deus, em primeiro lugar, porque é nosso dever; mas também por ser nosso maior prazer. Isso nos leva aos dois níveis de louvor a Deus que o cristão pode experimentar. O primeiro nível é quando você louva a Deus pelo que Ele tem feito por você. O segundo nível é quando você louva a Deus apenas pelo que Ele é. Esta última compreensão de louvor é ainda mais profunda. Trata-se do prazer de louvar. Trata-se de exaltar a Deus não pelo que Ele tem nos proporcionado, mas pelo que Ele representa para nós. A pessoa de Deus é claramente mais enfatizada do que Suas bênçãos. Se no primeiro nível as bênçãos divinas eram "ganchos" para exaltar o Criador, agora Ele mesmo é o "gancho". Louvá-lo é o maior de todos os prazeres.
Os salmistas, não poucas vezes, enfatizaram o prazer de se louvar ao Senhor como a própria razão para louvá-lo: "Louvai ao Senhor, porque é bom e amável cantar louvores ao nosso Deus; fica-lhe bem o cântico de louvor" (Sl 147.1). Para os salmistas, louvar a Deus era agradabilíssimo, motivo de grande alegria. Nada os satisfazia mais do que o próprio Deus. O rei Davi externou isso certa vez, e de forma comovente (Sl 63.1-5). O mesmo Davi chegou a dizer que se gloriava no louvor a Deus (1Cr 16.35). A pessoa de Deus, em si mesma, já era-lhe razão suficiente para a adoração.
Ao escrever sobre o louvor em seu livro Reflections on the Psalms, de 1958, C. S. Lewis, um dos maiores pensadores cristãos do século 20, salientou essa verdade: "O louvor não meramente expressa, mas também completa o desfrutamento; é sua consumação tencionada. (...) Ao ordenar-nos que O glorifiquemos, Deus está nos convidando a que nos regozijemos nEle".
Louvar a Deus é simplesmente indispensável para a alma que deseja sobreviver às catadupas da sociedade pós-moderna, ao bulício do cotidiano, aos encontros, desencontros e reencontros do dia-a-dia. Isso porque louvar é desfrutar do amor do Pai. Quando louvamos a Deus, somos abraçados pelo seu amor e vemos surgir um oásis em meio aos nossos desertos existenciais. Fortalecemos nossa alma.
Louvor é amor. É impossível louvar genuinamente sem amar. "Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor" (1 Jo 4.8). Essa revelação sintética e profunda que o apóstolo João nos faz de Deus traz consigo a suma de todas as razões pelas quais devemos louvá-lO, a síntese da relação dever-prazer na adoração. Por que devemos louvar a Deus? Ora, é simples: Porque Ele é Deus e porque "Deus é amor".
Louvor é relação. Quando louvamos, trazemos Deus para o nosso dia-a-dia, e fazer isso não é tornar o divino comum, mas transformar nosso dia-a-dia em algo fora do comum. É Deus quem quebra a monotonia, dá sabores à existência e dilui o estresse. É Ele quem faz novas todas as coisas.
Diante deste fato, todos os obstáculos à adoração tornam-se injustificáveis. O verdadeiro adorador não recusa louvá-lO, mas diz como o salmista: "Quando tu disseste: 'Buscai o meu rosto', o meu coração te disse a ti: 'O teu rosto, Senhor, buscarei''' (Sl 27.8).
Para louvá-lO, vale a pena todo esforço, disposição e entrega. Durante a História, muitos adoradores genuínos sofreram suplícios acachapantes, alguns morrendo terrivelmente, porque não se recusaram a louvar o Criador. E isso só foi possível porque eles conheciam profundamente o seu Deus. Como o apóstolo João, podiam afirmar: "Deus é amor".
Louvar é celebrar essa verdade, que faz o Céu tocar a Terra, o divino invadir o terreno. É uma experiência sublime, que só o salvo em Cristo pode experimentar em toda a sua plenitude.
Por tudo isso, louvar a Deus é a maior experiência da Terra. Então, o que você está esperando? "Louvai ao Senhor" (Sl 150.6).

26 comentários:

Silvio Araujo disse...

Amém!

Anônimo disse...

Muito lindo o seu texto Pr. Silas!!! Parabéns!!!!!!!
Principalmente esse trecho:
"Louvar a Deus é simplesmente indispensável para a alma que deseja sobreviver às catadupas da sociedade pós-moderna, ao bulício do cotidiano, aos encontros, desencontros e reencontros do dia-a-dia. Isso porque louvar é desfrutar do amor do Pai. Quando louvamos a Deus, somos abraçados pelo seu amor e vemos surgir um oásis em meio aos nossos desertos existenciais. Fortalecemos nossa alma".
É bem assim que me sinto e o seu texto é um alento, uma inspiração para o meu sedento coração... Deus que me ajude a louvá-lo, adorá-lo sempre e sempre, independente de qualquer circunstância da vida...
Deus te abençoe sempre!!!

Idalecio disse...

Realmente este nível de louvor o qual o louva pelo que Ele é , e não pelo que Ele pode fazer por nós, me parece o mais deleitoso e o mais despretencioso, você não acha? É o louvor de uma pessoa que ama verdadeiramente e tem comunhão com Deus. Imagino que é o tipo de louvor de uma pessoa que tem prazer nesta comunhão e Deus tem prazer nele de tal maneira que faz Deus o " tomar para si".
Pastor, como faço para adquirir seu livro "Filho pródigo"?
Desde já minha profunda gratidão.

Silas Daniel disse...

Caro Silvio,

Amém!

Silas Daniel disse...

Caro anônimo (favor de identificar da próxima vez),

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Sim, vamos louvar a Deus, seja qual for a circunstância! E sabendo que podemos nos achegar a Ele para louvá-lO não porque achamos que somos muito fortes, mas porque, reconhecendo a nossa falência sem Ele e nos apoiando no mérito de Cristo, sabemos que podemos nos aproximar do Amado de nossa alma para gozar da Sua maravilhosa presença! Aleulia!

Reconhecemos que dependemos dEle, que nossa força está nEle e que Ele é o Senhor. Louvemos ao Senhor!

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro irmão Idalecio,

Obrigado por suas palavras de apreço e motivação. Louvemos ao Senhor!

Quanto ao livro "O Filho Pródigo", infelizmente, a última tiragem está esgotada já faz alguns anos. Pretendo republicá-lo, se possível, mais à frente. Quando fazê-lo, divulgo por aqui.

Abraço!

Anônimo disse...

Com certeza, Pr. Silas Daniel, devemos sempre e sempre reconhecer a nossa pequenez, nossa fragilidade, fraqueza e exaltar a grandeza de Deus! Agradecê-Lo por tudo que Ele é... Não somos nada sem Ele. A Sua graça nos basta...
Somente a Deus louvemos, exaltemos e adoremos... como diz a letra desta bonita canção: http://www.youtube.com/watch?v=U2SdDdOM4bo
Louvemos ao Senhor! Que Deus continue te abençoando mais e mais!

Felipe Campos disse...

Parabéns pelo blog, acompanho há algo tempo as suas postagens, mas nunca tinha comentado.

Dessa forma, quero fazer pública a minha admiração pelo seu ministério nas diversas formas: artigos, livros e pregações inspirados.

Especialmente pela pregação de setembro de 2003, no Congresso de Jovens de São Miguel dos Campos, Alagoas, pois na EBD festiva vossa reverendíssima bradou no microfone e disse que Deus tinha pressa em me batizar, pois vidas seriam transformadas através de minhas mãos.

Depois de alguns segundos, apenas eu fui batizado no Espírito Santo, todavia, perdi as contas de quantos mais foram batizados no decorrer do congresso através de suas ministrações.

Agora estou morando em Maceió e anelo vê-lo pregar aqui em Alagoas novamente, mas não sei como acompanhar sua agenda.

Deus continue abençoando seu ministério, sua família e sua vida.

Em Cristo,

Felipe.

PS:

Recentemente criamos um espaço para professores de ebd e coloquei o seu blog na lista dos favoritos, confira lá:

ebdjatiuca.blogspot.com

Pr. Gualter Guedes disse...

Prezamado Pr. Silas, muito bom esta postagem. só posso pedir sua permissão para poder seguir seu BLOG, por indicação do Pr. Ciro Sanches.

Um Abraço
Pr. Gualter Guedes

Júnior disse...

Pastor Silas

Muito propício para nossa época essa reflexão sobre o louvor, haja vista esta febre de prosperidade. Pq as pessoas adoram a Deus geralmente pelo que Deus tem e pode dar.Isso se vê até nos hinos:esse carro foi Deus que me deu, esse relógio, foi Deus que me deu....."
Vamos adorá-lo principalmente pelo que Ele é. porque ainda que a figueira não floresça, todavia me alegrarei no Senhor.

Algo que o sr. escreveu, pastor, é que trazer o louvor para o dia-a-dia, não é tornar Deus comum.
Quando não reconhecemos isso, certamente nos tornamos meio desleixados quando vamos adorá-lo.
Vejo pessoas afirmarem que Deus não se preocupa com a forma, por ser nosso Pai, temos intimidade e não precisamos nos preocupar com nossa postura.

Deus abençoe seu ministério e esse blog.

Paz em Cristo

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

Graça e paz,Pr. Silas Daniel!

O louvor nos eleva aos céus e nos faz sentir mais próximos da eternidade! Quantas vezes em minha vida,diante de circunstâncias aparentemente sem saída, pude louvar a Deus com os meus lábios, e, de repente, o milagre então se fez!

Lembro-me de um louvor que cantava em minha aflição: "Oh! Não temas sou contigo, teu piloto até o fim. Oh! Não temas o perigo, eis a mão confia em mim".

Sempre quando louvava em meio às minhas angústias, sentia a minha alma vibrar com os acordes celestes. O maravilhoso é que em meio ao louvor, além do consolo do Espírito, recebia também respostas do alto...

Sem perceber, Deus me tirava do vale! Glória a Deus!

Isso faz jus a sua declaração no texto que faço questão de repetir:"Louvor é relação. Quando louvamos, trazemos Deus para o nosso dia-a-dia, e fazer isso não é tornar o divino comum, mas transformar nosso dia-a-dia em algo fora do comum."

Realmente os que louvam podem divisar em suas existências as inigualáveis e poderosas maneiras de Deus agir através de atitudes sinceras de louvor e adoração.

Certo pastor uma vez disse: "Nós adoramos a Deus pelo que Ele é e o louvamos pelas maravilhas que faz em nossas vidas. Portanto, louvemos ao Senhor!

Aproveitando o ensejo, quero parabenizálo pelo texto. Há algum tempo lí o seu excelente livro: "Reflexões sobre a alma e o tempo". Excelente obra! Trouxe-me grandes reflexões. O próximo que lerei será, se Deus me permitir, "A Sedução das novas teologias". Que Deus lhe abençõe e continue inspirando a sua vida e ministério.


A paz do Senhor Jesus!

Geovani Figueiredo dos Santos disse...

Graça e paz,Pastor Silas!

Desculpe comentar um assunto que não diz respeito a postagem supracitada. Gostaria de lhe porpor uma sugestão, caso seja possível,uma vez que o senhor é uma pessoa muito ocupada e de muitos compromissos com o Reino.

O senhor já não pensou em escrever um livro sobre o período da ditadura militar e a igreja? Eu acho que seria muito útil para a historiográfia cristã-evangélica este tema tratado sob a ótica de um pensador cristão sério, como é o senhor. Pense nisso. será uma benção!

Fique na paz!

Jean Patrik disse...

Pastor algum tempo venho mandando para o senhor alguns links,falando do veneno dos ASD (Adventista do Sétimmo Dia).

A cada dia que estudo sobre as suas doutrinas vejo da forma que agem, com crentes imaturos, ganhando muitos deles para seguir as suas dotrinas estranbóticas.

A minha preocupação cresceu ao ver nesse link http://adventita.blogspot.com/2009/09/pastor-assembleiano-se-batiza-na-iasd.html

A terrivel fragilidade da nossa igreja (IEAD) em relação aos ensinos dos ASD.

Pastor penso que o senhor, precisa da uma ateção maior ao assunto.

Paz do Senhor Jesus!!!!

Gernandes disse...

A paz de Cristo, caro Pr, Silas Daniel.

Certa vez um escrito cristão disse:

Um dos propósitos da nossa existência é louvar ao Senhor.

Ora, o Salmo 150.6 instrui a tudo quanto tem fôlego a louvar ao Senhor.

Realmente o momento de adoração é sublime e quanto maior a nossa comunhão mais intimidade teremos com o nosso Criador, e também mais júbilo em nossa alma.

faço coro com o nobre irmão em Cristo: "Louvai ao Senhor"( Sl 150.6).

Gilberto Ramos disse...

Otimo etsa materia parabens

Silas Daniel disse...

Caro Anônimo do dia 7 de fevereiro,

Favor identificar-se da próxima vez. No mais, obrigado pelas palavras de apreço e motivação.

Silas Daniel disse...

Caro irmão Felipe Camargo, a Paz do Senhor!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Que Deus também continue abençoando-o mais e mais!

Um abraço nos irmãos de São Miguel.

Silas Daniel disse...

Caro pastor Gualter Guedes, a Paz!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Sinta-se à vontade para seguir este blog, o que muito nos honra.

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro Junior,

Prazer revê-lo por aqui. Sem dúvida, só depois de aprendermos a cultivar a presença de Deus em meio ao bulício da vida cotidiana podemos ver o nosso comum se tornar em fora do comum!

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro Geovani, a Paz!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Sobre a proposta do irmão para o tema de um próximo livro, quem sabe? Não sei se escreveria um livro sobre esse tema, mas, talves, um capítulo interessante para um livro de abordagem mais genérica. Ademais, que bom saber que "Reflexões sobre a Alma e o Tempo" foi bênção para a vida do irmão!

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro Patrick, a Paz!

Obrigado pelo envio dos links e pela sugestão.

Abraço!

Silas Daniel disse...

Caro Gernandes,

É isso aí. Louvemos ao Senhor!

Caro Gilberto Ramos,

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação.

Abraço a todos!

Alexandre Pitante disse...

Paz do Senhor, prazer poder visitar seu blog e ler suas matérias.

Estou seguindo seu blog.

Visite meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo.

http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

Siga-nos também.

Fica com Deus.
Um abraço, Alexandre Pitante.

Silas Daniel disse...

Caro Alexandre, a Paz do Senhor!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Visitarei o blog do irmão.

Abraço!

Thiago Almeida Dias disse...

Caro Pr. Silas Daniel e interessante que o apostolo Paulo naquela prisão na macedônia nos deu um exemplo do que e adorar a Deus baseando se naquilo que ele e! (At 16:25)
Mesmo diante daquela situação que não era fácil!Eles oravam e cantavam hinos a Deus adoravam compreendendo que a despeito daquela situação Deus continuava sendo Deus! E sempre uma benção quando encontramos Cristãos que buscam a consciência da grandeza de Deus a ponto de adorá-lo pelo prazer de estar com Deus! Todavia a adoração a Deus quando centralizada apenas em favores terrenos, pode gerar naquele que só conhece Deus deste ângulo uma certa frustração com o próprio Caminho escolhido pelo tal!
Talvez se Paulo fosse um adepto deste evangelho triunfalista pregado por muitos, na cadeia ele murmuraria! Mas graças a Deus que Paulo estava preparado tanto para louvar a Deus pelos seus feitos como por aquilo que ele e!

Silas Daniel disse...

Caro Thiago, a Paz!

É isso aí. Adoremos ao Senhor pelo que Ele fez e faz, mas principalmente pelo que Ele é. Este é o mais profundo nível de adoração: a adoração fruto do amor devotado e fervoroso, e não apenas pelo reconhecimento do favor recebido. Por isto também, mas sobretudo por aquilo.

Abraço!