quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Mais dados sobre a eleição norte-americana

Os votos das urnas ainda estão sendo apurados, mas o que podemos já adiantar como certo é o seguinte:
1) 37 estados tiveram eleições para governador este ano nos EUA. Até agora, os republicanos perderam três estados para os democratas, mas tomaram dez dos democratas, fechando com mais sete estados, enquanto os democratas já estão com menos oito estados. Agora, dos 50 estados dos EUA, 29 são governados por republicanos, só 17 por democratas e 1 por independentes. Até às 12h30 (horário de Brasília), ainda estavam indefinidas as eleições em apenas três estados: Connecticut (com o republicano Foley à frente com 50% dos votos contra 49% do democrata Malloy, e faltando ainda apurar 1% das urnas), Illinois (com o republicano Brady empatadíssimo com o democrata Quinn – ambos com 50% dos votos válidos – faltando apurar menos de 1% das urnas) e Minessota (com o democrata Dayton à frente com 44% contra 43% do republicano Emmer e 12% do independente Horner, faltando apurar menos de 1% das urnas). Tudo indica que, nessa disputa final, os republicanos vão faturar mais uma vitória contra mais duas dos democratas, fechando 30 estados com governo republicano contra 19 de democratas e 1 de independentes.
2) Na Câmara dos Representantes, das 435 cadeiras em disputa (ou seja, todas), o resultado até agora é: 240 cadeiras para os republicanos (61 a mais do que já tinham) contra 185 dos democratas (exatas 61 a menos). Os independentes estão com só uma garantida; as outras nove ainda estão em disputa, com a tendência de 3 delas saírem para os democratas e 2 para os republicanos; as outras 4 indefinidas têm resultado absolutamente imprevisível. Faltando menos de 1% para essas urnas serem totalmente apuradas, os candidatos republicanos e democratas que disputam essas últimas quatro vagas estão rigorosamente empatados.
3) No Senado, com só um terço das cadeiras em disputa nesta eleição, os democratas apanharam menos. Estão com 6 cadeiras a menos, enquanto os republicanos ganharam mais 6. Agora, são 52 cadeiras democratas contra 46 republicanas, contra uma independente. A cadeira de Washington ainda está em disputa, com os candidatos Murray (democrata) e Rossi (republicano) rigorosamente empatados, com 74% das urnas apuradas. A conferir.
4) A onda conservadora derrotou ainda plebiscitos pela liberação da maconha que ocorreram em alguns Estados simultaneamente às eleições. Foram outras derrotadas acachapantes.

4 comentários:

Josiel Dias disse...

Olá meu querido Pastor, Silas Daniel Graça e Paz.

Como é maravilhoso encontrarmos textos que nos fortaleça na fé, não é mesmo? Parabéns pelo maravilhoso trabalho, muito edificante.
Vivemos dias de tribulações e esfriamento na fé, e muitas heresias onde muitos estão se alimentando de alimentos não sólidos e contaminados sendo assim adoecem espiritualmente se não tratados morrem na fé. Nestes últimos dias tem Deus levantado, homens e mulheres com compromissos de divulgar a palavra de Deus em tempo ou fora de Tempo “Gloria a Deus” . Trazendo mensagens edificantes aos nossos corações. Como sempre tenho dito: Aprendendo uns com os outros crescemos na graça e no conhecimento do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Gostaria de aproveitar a oportunidade e compartilhar o nosso “blog”:Gostaríamos muito de contar com sua visita e comentários. Deus te abençoe ricamente.

“Mensagem Edificante para Alma”
http://josiel-dias.blogspot.com/


Josiel Dias
Cons. Missionário
Congregacional
Rio de Janeiro

Silas Daniel disse...

Irmão Josiel, a Paz!

Obrigado pelas palavras de apreço e motivação.

Abraço!

Valmir Nascimento disse...

Silas,

O foco ardente da emoção do governo de Barack Obama pelo jeito se foi. Aprovação em baixa e derrota nas urnas do partido Democrata.

Vejamos o que ele fará...

Silas Daniel disse...

Valmir, a Paz!

É verdade, porque uma coisa é o discurso político de propaganda, outra coisa é a realidade. Espero dessa vez pelo menos um Obama mais realista daqui para a frente, já que imaginá-lo menos liberal socialmente é praticamente impossível. Pelo menos o ser realista já o ajudaria um bocado.

Abraço!